Voltei.

Olá.

Fumei um baseado agora a pouco. Estava bom mas queimei a garganta porque alguma substância usada para preservar o prensado estava muito forte.

Fumei sob a sacada de sempre. É o melhor lugar pra fumar dos que tenho acesso no meu horário de trabalho. É bem iluminado mas longe das câmeras de segurança e nem posso ser visto por alguém a menos que eu queira me expor.

O dia hoje foi bom. Como se tornou costume, passei chapado. A maconha se tornou um remédio que não pretendo abrir mão já que só com altos índices de THC no cérebro é que me sinto normal, saudável.

Estou com saudade da J. Eu a amo. Infelizmente, depois de tudo que rolou – ou que deixou de rolar – entre a gente, não tenho mais a menor condição psicológica ou emocional pra tentar qualquer coisa que não seja a distância e o silêncio. Tento esquecer que ela existe. Tento esquecer o que passamos de bom, mas não consigo. Também não consigo esquecer todo o mal que ela me fez e quão desgraçada ficou minha vida por muito tempo como consequência do meu envolvimento com ela. O problema é que nenhum sentimento em mim, quando penso nela, é maior que o nojo. Não consigo mais nutrir qualquer outro sentimento que não seja aversão, decepção, desilusão ou ciúmes.

Pouco importa. Já decidi que não irei mais permitir que ela se aproxime e tente reverter a situação que se colocou entre a gente. Fato é que pretendo manter o mínimo de dignidade, mesmo que lá no fundo da alma eu pense que já não tenho nenhuma.

Monólogo.

Olá.

Faz alguns minutos que fumei um baseado. Não foi dos melhores. O gosto estava ruim. A fumaça estava mais forte e sufocante que o normal. Pelo menos a brisa está boa. O baseado foi bolado naquelas sedas “slins” que são menos da metade do tamanho que uma seda comum.

Ando fumando muita maconha ultimamente. Muita mesmo. Tipo, o dia inteiro. Me sinto feliz quando estou brisado. Me sinto leve e os problemas da vida parecem não merecer mais minhas preocupações.

Voltei a escrever. Estava sem interesse. Sem criatividade. Sem vontade de gastar tempo digitando algo que vou apagar daqui um tempo – porque sempre interrompo meus projetos em algum momento e jogo na lixeira absolutamente tudo que produzo já que pra mim não passam de lixo.

Isso aqui vai ser como um diário online. Não vou divulgar. Não pretendo estabelecer regras pra frequência de postagem nem sobre exatamente o que dizer. Não tenho a pretensão de escrever algo relevante já que pretendo escrever apenas sobre mim e como enxergo o mundo.

Eu queria fumar mais maconha agora, mas estou no trabalho e já me arrisquei demais fumando o primeiro. Meu maior desejo ultimamente é que a maconha seja liberada pra eu poder fumar maconha enquanto trabalho, sem risco de ser mandado embora por justa causa.

Bom, logo volto e escrevo mais. Agora vou parar para fumar um cigarro, mas desses comuns mesmo, que não valem três reais o maço.